Publicidade

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012 Nota | 17:08

Plataformas são o principal destino de trabalhadores estrangeiros no Rio

Compartilhe: Twitter

O Brasil concedeu autorização para 70.524 estrangeiros trabalharem no País no ano passado.  O Rio perdeu para São Paulo a liderança que teve em 2008 e 2009.

No Rio, foram 24.897 autorizações concedidas no ano passado, segundo a Coordenação Geral de Imigração do Ministério do Trabalho. Esse número vem aumentando desde 2009, quando foram dados 15.130 vistos de trabalho para estrangeiros.  Em São Paulo, no mesmo período, o número de licenças chegou a 33.392.

No Rio, a maioria dos estrangeiros vem dos EUA (4.478), das Filipinas (3.271), do Reino Unido (2.386), da Noruega (1.548), da Índia (1.406), da França (920), da Polônia (706), da Espanha (652), do Canadá (648) e da Holanda (599). Em seguida, entre a 11ª e 15ª colocação estão Rússia (557), Alemanha (533), China (487), Dinamarca (463) e Itália (420). Nos últimos quatro anos, EUA, Reino Unido e Filipinas estiveram à frente do ranking, alterando as posições.

Leia mais: “Vivo onde o resto do mundo tira férias”

Peculiaridades do Rio

O perfil do trabalhador estrangeiro que vem para o Rio tem particularidades e é diferente do tipo de profissional que vai para São Paulo, por exemplo. No Rio,  mais da metade das autorizações evidenciam a força do setor petrolífero e as expectativas em relação ao pré-sal, pois se referem a “trabalho a bordo de embarcação ou plataforma estrangeira”. Foram 14.853 vistos em 2011 (50.860 nos últimos quatro anos).

Justificativa para concessão de vistos para trabalhadores estrangeiros no Rio de Janeiro

Justificativa para concessão de vistos para trabalhadores estrangeiros no Rio de Janeiro

O Rio responde por 84% desse tipo de autorização concedida no ano passado em todo o Brasil. A maioria dos trabalhadores tem superior completo e são originários majoritariamente das Filipinas, Reino Unido, EUA, Índia e Noruega.

As outras situações em que vistos foram concedidos para estrangeiros que vieram trabalhar no Rio foram “Assistência Técnica por prazo até 90 dias; sem vínculo empregatício”, com 3.472 autorizações em 2011; e “Estrangeiro na condição de artista ou desportista, sem vínculo empregatício”, com 2.512.

Leia mais sobre Economia

Em São Paulo, por exemplo, o maior número de vistos também está relacionado ao setor naval, mas com uma diferença. Foram dados 14.455 autorizações para “Tripulante de Embarcação de Turismo, sem vínculo empregatício”.

Se em relação a concessão de vistos de trabalho para estrangeiros o Rio é o segundo maior beneficiário, no que diz respeito a investimento efetuados por estrangeiros como pessoa física, o Rio está em quinto lugar. Fica atrás de São Paulo, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia. Foram R$ 19.422.336,16.  Menos de 10% dos R$ 204 milhões em todo o Brasil registrados em 2011.

Autor: Tags: , , ,

13 comentários | Comentar

  1. 63 Shirlei Horta 19/02/2012 11:06

    Não é razoável imaginar que empresas que investem o “ó” em qualquer lugar deixem de supervisionar com mão de ferro a evolução do “ó”. Assim como é bobagem achar que empresários tem preocupação em dar empregos a seus compatriotas, por civismo. Empresários querem (bons) resultados, venham de quem venham. E isso tudo nos leva ao mesmo “nó Brasil”: inexistência e/ou ineficiência da educação. Chegar ao patamar econômico que chegamos foi imensuravelmente mais fácil do que será reverter a miséria educacional dos brasileiros. E para os que sugerem o caminho fácil das cotas, informem-se: a contrapartida de empregos é item número um da agenda de investimentos no Brasil desde sempre. Mais de 90% de toda mão-de-obra de qualquer multinacional é genuinamente nacional e se refere, fazer o quê?, a ocupações que demandam menor qualificação educacional/profissional.

  2. 62 Igor Bodyn 17/02/2012 8:25

    O mercado exige a capacitação desses profissionais onde o inglês é fundamental. 90% dos estrangeiros que vem trabalhar no brasil, são para empresas gringas. Então invista no inglês para ganhar a vaga deles. O problema do brasileiro é esperar tudo do governo. Se não estiver bem qualificado além de ter inglês fluente, você esta fora. A não ser que tenha um bom “QI” né, aquele Que vai te Indicar. Mas além das gringas, existem as prestadoras de serviço onde o inglês não é exigido caso você seja tecnico, engenheiros algumas já exigem.

  3. 61 camilo dofra 17/02/2012 7:36

    Lamentavel isso e a mão de obra brasileira como fica ???? e as empresas nacional um pais sem industria sempre sera submisso

  4. 60 waldir 17/02/2012 7:34

    Caro Pedro Tavares, o seu comentário é pertinente, mas a maioria das empresas que prestam serviço nesta área, são estrangeiras e preferem profissionais de fora por dois motivos básicos: domínio da lingua inglesa e facilidade em enganar as nossas leis, pois o governo faz vista grassa e as plataformas estão cheias de gringo trabalhando de forma ilegal, tendo como consequência, a falta de vagas para os brasileiros.

  5. 59 almir 17/02/2012 7:18

    Sr altino,estes estrangeiros ao qual vc se refere, podem ser altamente qualificada, mas ao menos na área marítima, não ficamos devendo nada, principalmente aos filipinos. Em tempo: Sou contramestre de embarcação off shore.

  6. 58 capato 17/02/2012 1:31

    acho que o governo brasileiro deveria se preocupar com isso, estabelecendo cotas para estrangeiros e qualificando o brasileiro para exercer os cargos em todos os níveis, e deixar o resto pra eles, como fazem conosco. é inaceitável que o brasil trate estes estrangeiros desta forma em detrimento ao desemprego grande dos brasileiros. falta qualificar nossos trabalhadores, e reduzir a chande dos estrangeiros aqui. eles fazem isto conosco la fora.

  7. 57 joao 17/02/2012 1:01

    A verdade é que deveriam ser deportados ou ficarem presos nas cadeias para deportamento.
    Experimente ir para os EUAs trabalhar ou buscar uma melhor colocaçao se for sem visto recebera prisao, o mercado internto na intençao americana discutindo a criaçao de um muro no mexico para evitar a migraçao para os EUAS devido ao fato de ocuparem mais vagas de empregos nos EUAS.
    A realidade é somos tolo apoiamos estrangeiro por que temos a cultura torta de o que é de fora ser melhor, e o pior que isso é ter simpatizantes a isso.

  8. 56 Marcus Serodio 17/02/2012 0:31

    Mais de 50% dos estrangeiros autorizados pelo Rio se destinam a atividades de navegassao. Nossa legislassao ja preve que nas embarcassoes haja pelo menos 50 % de brasileiros trabalhando. Os postos de trabalho ocupados pela mao de obra estrnageira sao os de diressao, Comandantes, Imediatos, Chefe de Maquinas, Sub Chefe de Maquinas, Eletricistas e Contramestre. A dificuldade de brasileiros ocuparem estes postos esta na pouca formassao desses profissionais no Brasil, limitado a duas escolas de formassao. Precisamos incentivar a criassao de novos centros formadores nessa area. Apos a graduassao desses profissionais, espera-se de cinco a dez anos para atingirem os postosde diressao que requerem experiencia na atividade.

  9. 55 Pedro Tavares 16/02/2012 22:58

    Precisamos sim de adquirir mais conhecimento nessa área. O Pré-sal está aí mesmo para não só ser explorado como também para conceder autonomia para nós brasileiros. Precisamos de mais oportunidades para podermos nos qualificar mais e melhor tanto nessa área de petróleo e gás, quanto na área de navegação. são vários profissionais sendo jogados no mercado de trabalho, moços de convés, moços de máquinas, sem oportunidade para começarem na profissão, enquanto são dados oportunidades para estrangeiros. Acho que há condições de oportunidades para todos afinal o sol e a chuva são para todos aproveitarem. Senhores empresários, por favor, um pouco de boa vontade não faz mal a ninguém.

  10. 54 los 16/02/2012 22:56

    queria ver brasileiros obterem permissao para trabalhar la.tem mita mutreta nisso ai.com a palavra a policiia federal,imigração ministerio do trabalho

  11. 53 Faz me ri 16/02/2012 21:58

    Se tivéssemos aqui um GOVERNO preocupado com a população que o elegeu, ele exigiria que para cada X estrangeiros que viessem para trabalhar outro X teria que ser capacitado pela empresa contratante.
    Não existe cotas??? Então que se exija cotas para nós BRASILEIROS.

    Se acham que não temos qualificações, então porque acham que têm direito em explorar nossas riquesas???

  12. 52 Altino Miranda 16/02/2012 21:47

    Com a crise fulminando a economia de vários países da Europa, inclusive os EUA, o Brasil tem sido ultimamente o destino de muitos entrangeiros. Mas este estrangeiro que vem trabalhar no Brasil é altamente qualificado. Diferente da grande maioria de brasileiros que vão trabalhar no exterior, cuja maioria é desqualificada e executa principalmente serviços braçais.

  13. 51 jose duda 16/02/2012 21:20

    SO queria saber porque na teserisaçaõ as pessoas trabalhaõ na mema fuçaõ que os petrleiros mas quando e para fazer part do quadro naõ srve mas se for pela contratada ta tudo bm sera que as pessoas naõ saõ as mesmas nunca entedi isso ja tive platf Refinarias e tudo amema coisa nada mud so a arroganc de 1 para outra duda

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.